Voto Consciente-Opinião por Margarida Pereira

2021-09-21

Até dia 24 de Setembro vivemos em plena Campanha Eleitoral, mas, afinal, o que quer isso dizer?
Se, para muitos, é a semana dos “brindes” oferecidos pelos diversos candidatos às eleições autárquicas, para outros é o momento de, finalmente, conhecer os candidatos e perceber quem são aqueles que se propõem a governar as nossas localidades durante os próximos quatro anos.

Durante o período de Campanha eleitoral, estabelecido pela Comissão Nacional de Eleições, somos inundados de atividades políticas. Desde as tradicionais arruadas, que não são mais do que passeios pelas ruas onde candidatos e apoiantes pretendem estabelecer um contacto mais próximo com a população, passando pelos comícios, onde o candidato se deve apresentar e apelar ao voto, até ao tempo de antena que é transmitido nas rádios locais. No caso de Braga, a Rádio Universitária do Minho tem um espaço direcionado unicamente para as eleições autár- quicas, onde, além de entrevistas aos candidatos à CMB, que nos permitem perceber melhor as ideias de cada candidato, tem ainda as notícias mais pertinentes destas eleições que podem e devem ser ouvidas, bem como lidas por todos, estando disponibilizadas no site da rádio.

Para que o voto de todos seja consciente, é fundamental ouvirmos todos os candidatos aos três órgãos autárquicos: a Câmara Municipal, a Assembleia Municipal e a Assembleia de Freguesia. Além de ouvir cada candidato, deve conhecer, atempadamente, o programa eleitoral que cada um propõe e só então deverá refletir sobre em quem votar.
Hoje em dia, temos os candidatos que representam os partidos a que já estamos habituados, mas existem agora novas forças partidárias e ainda candidatos independentes que devem sempre ser levados em consideração.
Após o período de Campanha Eleitoral, temos um dia que nos permite refletir sobre tudo o que ouvimos, que nos dá espaço para escolhermos de forma consciente quem nos irá governar durante os próximos quatro anos.
No dia 26 de Setembro cada eleitor irá receber 3 boletins de voto, um para cada órgão autárquico e será nesse momento que deverá indicar a sua decisão.

Como já vem sendo habitual, a JovemCoop defende que abster-se não é uma forma de expressar a opinião, é antes uma forma de mostrar desinteresse. E se há assunto pelo qual ninguém se deve desinteressar é pelas eleições dos nossos governantes, sejam eles europeus, nacionais ou autárquicos. A única forma que temos de expressar a nossa opinião sobre os atuais dirigentes políticos é sempre junto das urnas de voto, podendo reforçar o apoio (votando no atual representante ou na pessoa que lhe dá continuidade), mostrando o descontentamento (escolhendo um novo candidato) ou deixando o voto em branco.
O voto branco é, assim, uma forma de votar e de nos expressarmos, ao contrário do que muitos pensam: votar em branco mostra o descontentamento com os candidatos apresentados. A possibilidade de votar em branco faz com que todos os eleitores possam exercer o seu direito de voto, optando por não escolher qualquer candidato.

Com todas essas possibilidades, não existe outra justificação para não se dirigir às urnas no dia 26 de Setembro. O direito ao voto é a base da nossa democracia e deve ser cumprido por todos.
Sabemos que são as segundas eleições a decorrer enquanto o mundo atravessa, ainda, a pandemia do COVID19, no entanto, sabemos também que estamos a recuperar e que votar sempre foi seguro. Temos a maior parte da população portu- guesa vacinada, basta manter o distanciamento físico enquanto aguarda a sua vez de votar; tenha o cuidado de desinfetar as mãos à entrada e à saída e VOTE!
Não deixe que os outros escolham por si, analise o que cada candidato tem a defender, aproveite para refletir e no dia 26 dirija-se às urnas. Eu VOTO, e tu?


Deixar comentário



Lista de comentários